quarta-feira, fevereiro 01, 2006

Mulher

Dizem que a uma certa idade nós as mulheres nos fazemos invisíveis,
que nossa actuação na cena da vida diminui
e que nos tornamos inexistentes para um mundo
onde só cabem os impulsos dos anos jovens.

Eu não sei se me tornei invisível para o mundo,
até pode ser,
porém nunca fui tão consciente da minha existência como agora,
nunca me senti tão protagonista da minha vida,
e nunca disfrutei tanto cada momento da minha existência.

Descobri que não sou uma princesa de contos de fadas;
Descobri o ser humano sensível e forte que sou, com as suas misérias e as suas grandezas. Descobri que posso me permitir o luxo de não ser perfeita, de estar cheia de defeitos, de ter fraquezas, de me enganar, de fazer coisas indevidas e de não responder às expectativas dos outros.
E apesar disso...gostar de mim...

Quando olho para o espelho e procuro quem fui…sorrio àquela que sou…
Alegro-me do caminho andado, assumo as minhas contradições.
Sinto que devo saudar a jovem que fui com carinho, mas deixá-la agora de lado....


“A vida é tão curta e a tarefa de vivê-la é tão difícil que, quando começamos a aprendê-la, já é hora de partir..."

9 comentários:

Carlos disse...

oi... este texto resume-se numa unica palavra... maturidade...

beijoka...

jm disse...

A Vida é Bela...sempre!...
Seja em que altura for das nossas vidas!...
Tudo depende da forma como a enfrentamos…
Como depreendo das tuas palavras, é sempre importante o que o passado fez de nós! Mas mais importante ainda é o que faremos com o que o passado fez de nós……
Ganda posta esta...bjs
VIVA A VIDA......................

marco disse...

a vida sao dois dias...temos k gozar a vida enquanto o SR lá de cima, nos deixar...nao penses nos outros pensa só em ti mesma..prontos.. tb podes pensar um bocadito em mim...tou brincar

maltes disse...

È bonito, vert-e a colocar um post, assim, como este, mais ainda quando se sabe que estas palavras são reais, são sentidas, são vividas.
Este texto é muito significativo e apenas revela a pessoa, a mulher bonita que és, e que estás com garra, gosto muito deste post pois, beijinho.

Anónimo disse...

Acredito que no fundo apesar de amadurecer, existe sempre uma criança que teima em brincar dentro de nós. Acho que amadurecerer é adquirir paz interior. Perder ansiedade e ganhar a capacidade de perceber que a felicidade se pode encontrar bem perto.
ass - O criativo

marcox disse...

é bonitos reparares neste pequenos promenores.
jinhos

Joker disse...

Gostei do que li, e todos acabamos por perceber tudo isso mais tarde ou mais cedo!
Ainda assim, há alturas:
Em que me sinto infeliz, outras feliz!
Em que sofro, ou que faço sofrer!
Em que que julgo, ou sou julgado!
Em que tenho medo...
O que me leva a outra convicção: acredito que ainda tenho um longo caminho a percorrer e muito para aprender...
Mas acredito que a minha felicidade só depende de mim!
***** Karla

Anónimo disse...

Tudo o que é dito neste "post" é sentido neste momento por mim... tens uma sensibilidade fantástica...

Filha disse...

Oh love,tas velha mas n e tanto!!!